Unidade Terapia Intensiva

Unidade Terapia Intensiva
UTI
Loading...

quarta-feira, 3 de março de 2010

CURATIVOS E TIPOS DE FERIDAS




CURATIVOS

1- Conceito:

São cuidados dispensados a uma área do corpo que sofreu solução de continuidade.

2- Finalidades:

Prevenir a contaminação;
Promover a cicatrização;
Proteger a ferida;
Absorver secreção e facilitar a drenagem;
Aliviar a dor.


3- Tipos de Curativos


Aberto - É aquele no qual utiliza-se apenas o anti-séptico, mantendo a ferida exposta. Ex: Curativo de intracath, ferida cirúrgica limpa.
Oclusivo - Curativo que após a limpeza da ferida e aplicação do medicamento é fechado ou ocluído com gaze ou atadura.
Seco - Fechado com gaze ou compressa seca (não se usa nada na gaze)
Úmido - Fechado com gaze ou compressa umedecida com pomada ou soluções prescritas.
Compressivo - É aquele no qual é mantida compressão sobre a ferida para estancar hemorragias, eviscerações, etc.

Drenagens - Nos ferimentos com grande quantidade de exsudato coloca-se dreno (Penrose, Kher), tubos, cateteres ou bolsas de colostomia.

4 - Material: Bandeja contendo:


Pacote de curativo (pinças: 1 anatômica, 1 dente de rato, 1 Kelly, 1 Kocher), 1 tesoura. Com 3 pinças: 1 anatômica, 1 dente de rato, 1 Kelly.
Pacote de gazes;
Esparadrapo, micropore;
Frasco com anti-septico (o mais utilizado atualmente é o álcool a 70%);
Éter;
Soro fisiológico;
Cuba rim (para receber o lixo);
Saco plástico para lixo (que vai envolver a cuba rim);
Forro de papel, pano ou impermeável para proteger roupa de cama;
Pomadas, algodão, seringas, ataduras, cubas (quando indicado)
1 ou 2 pares de luvas
Deve-se usar máscara no procedimento.

5 - Classificação das feridas:


a) Ferida asséptica: não contaminada. Ex: Feridas operatórias)



Ferida séptica: contaminada. Ex: Feridas laceradas



Denominamos de:
Ferimento aberto - Solução de continuidade. Ex: Incisão cirúrgica, laceração penetrante ou escoriação.
Ferimento fechado - Não dá solução de continuidade. Ex: Contusão ou equimose.
Ferimento acidental - Ferimento devido a um infortúnio.
Ferimento intencional - Causado por incisão cirúrgica (fins terapêuticos).

6 - Inflamação


- É uma reação anormal do corpo a qualquer tipo de ferimento. A resposta inflamatória ocorre em 3 fases: vascular, exsudativa e reparadora.

Fase Vascular - Caracteriza-se por hiperemia local, devido a vaso dilatação. Nesta fase chega ao local plasma, anticorpos, células sanguíneas. Ocorre processo fagocítico onde os leucócitos englobam as substâncias estranhas e células danificadas.
Fase Exsudativa - Ocorre formação de exsudato que são líquidos compostos por células sanguíneas, células de tecido danificado e corpos estranhos. Pode ser seroso, purulento (infecção), hemorrágico (eritrócitos). O acúmulo de exsudato nos espaços intersticiais causa edema e dor localizada.
Fase reparadora - Cicatrização do ferimento. Ocorre remoção das células teciduais lesadas pela regeneração de novas células e formação de tecido cicatricial.


7 - Tipos de cicatrização:


Por primeira intenção: É a volta do tecido normal sem presença de infecção e as bordas do ferimento estão bem próximas. Pode ser usada sutura, materiais adesivos.
Por segunda intenção - Ocorre quando não acontece aproximação das superfícies com presença de infecção prolongada. O processo de cicatrização necessita de grande quantidade de tecido de granulação para fechar o ferimento.
Por terceira intenção - Ocorre quando é necessário fechamento secundário de uma ferida. Às vezes a ferida é aberta e suturada mais tarde ou é aberta por deiscência.

8 - Fatores que Afetam a Cicatrização Normal:

A idade, a nutrição, condições de vascularização, edema, inflamação local, hormônios, infecção e a extensão da lesão podem afetar a cicatrização normal.

Na cicatrização é comum encontrarmos hemorragias e infecção.


Para auxiliar um paciente portador de uma ferida, o enfermeiro deve estar a par da causa, do tipo de ferida e quando esta ocorreu, assim como conhecer a natureza básica dos problemas de saúde e do plano geral de assistência médica do paciente.9 - Procedimentos:
1 - Lavar as mãos.

2 - Preparar o Material.

3 - Explicar o procedimento ao paciente.

4 - Solicitar ou auxiliar o paciente a posicionar-se adequadamente.

5 - Expor a área a ser tratada.

6 - Colocar a cuba rim ou similar próximo ao local do curativo

7 - Abrir o pacote de curativo, de modo que o primeiro par fique próximo ao paciente.1o Par: Kocher e Dente de rato2o Par: Anatômica, Kelly e Tesoura (caso esteja presente no pacote)

8 - Dobrar a gaze com a pinça Kocher com auxilio da pinça dente de rato e embebe-la com éter (ou benzina).

9 - Segurar o esparadrapo do curativo anterior com a pinça dente de rato. Descolar o esparadrapo com o auxílio da pinça Kocher montada com gaze embebida em éter. (Isso facilita na retirada do esparadrapo diminuindo a dor do paciente)

10 - Remover o curativo e despreza-lo na cuba-rim, ou similar, evitando que as pinças toquem o mesmo.

11 - Remover as marcas de esparadrapo ao redor da ferida com a pinça Kocher.

12 - Iniciar a limpeza da área menos contaminada com o 2o par de pinças, utilizando soro fisiológico. Trocar as gazes sempre que necessário.

13 - Fazer aplicação do anti-séptico com auxílio da pinça Kelly.

14 - Proteger a ferida com gaze utilizando as pinças anatômica e Kelly.

15 - Fixar as gazes com esparadrapo.



16 - Deixar o paciente confortável e a unidade em ordem.

17 - Imergir as pinças e a tesoura abertas em soluça adequada.



18 - Lavar as mãos.



19 - Anotar na prescrição do paciente: hora, local, condições da ferida, soluções utilizadas.




CURATIVOS


O curativo é uma substância que cobre uma ferida. Quando utilizado, pode servir a um ou mais objetivos:

manter a ferida limpa
absorver drenagens
controlar sangramentos
proteger a ferida contra danos
manter medicamentos no local
manter um ambiente umedecido

Tipos de curativos


Existem vários tipos diferentes de curativos, dependendo do objetivo de seu uso. As coberturas mais comuns para feridas são os curativos de gaze, os transparentes e os hidrocolóides.


O curativo é feito de acordo com as características da lesão.
aberto – curativo em feridas sem infecção, que após tratamento permanecem abertos (sem proteção de gaze). Ex.: curativo de intracath, ferida cirúrgica limpa.

oclusivo – curativo que após a limpeza da ferida e aplicação do medicamento é fechado ou ocluído com gaze ou atadura.
compressivo – é o que faz compressão para estancar hemorragia ou vedar bem uma incisão.
com irrigação – nos ferimentos com infecção dentro da cavidade ou fístula, com indicação de irrigação com soluções salinas ou anti-séptico. A irrigação é feita com seringa.
com drenagem – nos ferimentos com grande quantidade de exsudato. Coloca-se dreno, tubos, cateteres ou bolsas de colostomias.

Troca de curativo


Os curativos são trocados quando a ferida requer avaliação ou cuidados e quando eles se soltam ou ficam saturados de drenagem.

Material


Bandeja contendo:
Kit curativo (1 pinça anatômica, 1 pinça hemostática e gaze)
Frasco de soro fisiológico
Esparadrapo ou micropore
Tesoura
Cuba-rim
Luvas
Método
Explicar ao paciente sobre o cuidado a ser feito
Lave as mãos
Posicione o cliente de modo a permitir o acesso ao curativo.
Cubra o cliente com lençol de modo a expor apenas a área da ferida.
Coloque pelo menos uma luva, solte a fita adesiva, puxe-a na direção da ferida, e retire o curativo.
Descarte o curativo sujo junto com a(s) luva(s).
Lave novamente as mãos.
Corte várias tiras longas de fita adesiva.
Abra os materiais esterilizados.
Ponha as luvas.
Limpe a ferida com soro fisiológico.
Use um único chumaço ou um quadrado pequeno de gaze para cada movimento de limpeza.
Cubra a ferida com o curativo de gaze.
Fixe o curativo com a fita adesiva.
Retire e jogue fora as luvas.
Deixar o paciente confortável e o ambiente em ordem.
Lavar as mãos.
Fazer as anotações de enfermagem.
Feridas com drenos
Limpar o dreno e a pele ao redor, com soro fisiológico.
Colocar uma gaze sob o dreno, isolando-o da pele.
Colocar outra gaze sobre o dreno, protegendo-º
O dreno de Penrose deve ser tracionado em cada curativo (exceto quando contra-indicado). Cortar o excesso e colocar alfinete de segurança estéril, usando luva esterilizada. Nunca tocar diretamente no dreno.
O dreno tubular ou torácico exige troca de curativo extremamente rápida e curativo oclusivo para evitar que ocorra pneumotórax. Não deve apresentar dobras, para garantir uma boa drenagem.
Observar e anotar o volume e o aspecto do material drenado.

Ataduras


A atadura é uma cobertura que é enrolada em torno de uma parte do corpo. A faixa é um tipo de atadura geralmente aplicada em determinada parte do corpo, como o abdomem ou as mamas. As ataduras e as faixas podem ser feitas de gaze, algodão fino, rolos elásticos e malha.

Elas atendem a vários objetivos, como:


Manter os curativos no lugar, especialmente quando a fita adesiva não pode ser usada ou o curativo é muito grande.
Apoiar a área em torno de uma ferida ou lesão para reduzir a dor.
Limitar os movimentos na área da ferida para promover a cicatrização.
Aplicação de uma atadura em rolo
A
maioria das ataduras vem em rolos de larguras variadas. A extremidade é presa em uma das mãos, enquanto o rolo é repetidamente passado em torno da parte a ser cuidada.


Vários princípios são seguidos durante a aplicação de uma atadura em rolo:
Erguer e apoiar o membro
Enrolar na direção distal para proximal
Evitar falhas entre cada volta da atadura
Exercer tensão igual, embora não excessiva, a cada volta
Manter a atadura sem dobras
Prender a extremidade do rolo da atadura
Verificar a cor e a sensação dos dedos das mãos e dos pés expostos com freqüência.
Retirar a atadura para a higiene e repô-la pelo menos duas vezes ao dia.

Jefferson AP. Costa Santos

Um comentário:

  1. muito bom, mais para fica melhor ainda é só adicionar mais conteúdo

    ResponderExcluir